Para fazer uma boa administração da farmácia de manipulação, considere alguns cuidados fundamentais para o sucesso dos processos e da empresa como um todo.

Confira a seguir 3 práticas que fazem parte de medidas essenciais para conduzir o negócio de forma sustentável.

Administração da farmácia de manipulação: Conceitos básicos

O setor magistral vem apresentado ótimo desempenho nos últimos anos, com ótimas oportunidades. No entanto, se manter no mercado é um esforço constante, que exige da farmácia análises, ajustes e dinamicidade.

Nem todas estão preparadas e, assim, acabam pecando no que diz respeito à administração. As consequências disso se estendem para todo o negócio, o que, em grande parte dos casos, acaba o tornando inviável.

Antes de avançarmos é interessante observar alguns conceitos básicos sobre administração.

“A administração nada mais é do que a condução racional das atividades de uma organização […] trata do planejamento […], da direção e do controle de todas as atividades diferenciadas pela divisão do trabalho […] ” – Idalberto Chiavenato.

“Administrar significa assumir tarefas. Significa disciplina. Mas significa também gente. Cada realização da administração é a realização de um administrador. Cada fracasso, é o fracasso de um administrador. São pessoas que administram, e não ‘forças’ nem ‘fatos'” – Peter Drucker.

É muito importante lembrar que administrar exige a utilização de métodos, técnicas e recursos aplicados que visam assegurar o bom, saudável e estratégico andamento das operações.

Há diversos aspectos a serem observados nesse contexto. Mas hoje nós destacamos 3 cuidados que você e sua farmácia possam dar os primeiros passos nas implementações necessários ou melhorias. Fique ligado!

  1. De olho nas finanças

Assim como em qualquer outra empresa, a administração da farmácia de manipulação deve prezar o lucro, a fim de que possa se manter, avançar e ganhar mercado. Basicamente, lucro reflete a diferença entre as receitas (entradas) de vendas, custos e despesas.

Isso significa que não estar a par do fluxo de caixa, das políticas de precificação (que podem ou não favorecer vendas), das compras de produtos, das reservas e de vários outros fatores que impactam direta ou indiretamente no lucro, é altamente arriscado. É jogar com a sorte, o que para um negócio não faz nenhum sentido.

Alguns questionamentos devem guiar o acompanhamento das finanças, tais como: de que maneira podemos conter gastos? Como diminuir recursos e potencializar ganhos? O que fazer para equilibrar o fluxo de caixa? Quais negociações podem ser feitas com os fornecedores de insumos farmacêuticos?

Naturalmente, é preciso encontrar resposta e providenciar soluções.

  1. Gestão de estoque

Em uma farmácia de manipulação há diversos ativos em estoque para futuras formulações. Perdas nesse setor significa perda financeira. O que fazer com as sobras? Como solucionar rapidamente a falta de insumo com grande saída?

Além desses cuidados, das providências logísticas, dos giros de estoque e outras medidas para que ele seja produtivo, é necessário ainda garantir as boas condições de armazenamento, que, de modo inverso, podem ocasionar perda de materiais por intercorrências como umidade e contaminação, sem falar do vencimento dos prazos de validade.

Um sistema de gestão de estoque (personalizado a sua realidade) e uma equipe bem treinada são capazes de minimizar sensivelmente esses riscos junto a uma administração atenta e providente.

  1. Busque indicadores

Este cuidado se resume em: procure traduzir tudo o que for possível em números, pois, somente assim é possível tomar decisões coerentes e assertivas. Apenas a percepção sobre os setores, laboratórios e outros departamentos não será capaz de tornar a administração da farmácia de manipulação consistente ao longo do tempo.

Dessa forma, é preciso sim um pensamento mais matemático e analítico nessa hora. Para tanto, ter os indicadores relevantes é primordial. Indicadores sobre vendas, fórmulas, atendimento, produção, processos e demais áreas. Novamente, a tecnologia é uma aliada nessa hora.

Para o atendimento, por exemplo, um sistema de CRM, preferencialmente integrado entre os diferentes setores, pode fornecer dados sobre como está a cartela de clientes, quantas reclamações foram registradas, quais vendedores estão se saindo melhor, entre outras informações de suma importância para a otimização de vendas e relacionamento.

Como foi mencionado, no campo da administração existe uma vasta amplitude de práticas, providências e melhorias a serem adotadas. Aqui estão apenas alguns pontos para te ajudar a observar a realidade aí da sua farmácia de manipulação e para avançar a partir desses cuidados fundamentais.

O papo pode evoluir sim muito mais. Então, para isso, assine nossa newsletter e acompanhe as novidades e conteúdos preparados especialmente para você 😉

Referências: ICTQ, Instituto Bulla, Marcad, SBFC.,