A anamnese farmacêutica é uma técnica utilizada para estreitar a comunicação entre profissional e paciente nas farmácias clínicas. É ideal para saber os hábitos, problemas e particularidades de cada pessoa antes da prescrição farmacológica ou não farmacológica, exame ou ao realizar o encaminhamento a outro profissional da saúde.

Dessa forma, na anamnese realizada pelo farmacêutico, além de serem listados os fármacos que o paciente está administrando, as alergias que possui e os problemas de saúde que ele apresenta ou decorrentes do uso dos medicamentos, o profissional analisa se será preciso ou não uma intervenção do médico. Contudo, é diferente da anamnese médica, que tem como função coletar informações do paciente com finalidade de diagnóstico e indicação do tratamento mais adequado ao problema apresentado.

Por que realizar anamnese farmacêutica?

Contar com um consultório dentro da farmácia é vantajoso para os negócios, pois é um diferencial competitivo. Sem contar que propicia um aumento nas vendas de medicamentos, por serem prescritos no local.

Além dos benefícios para a farmácia, a possibilidade de o farmacêutico realizar atendimentos e prescrever exames e medicamentos é um ponto importante para a manutenção da saúde pública.

Principalmente, isso possibilita ao profissional acompanhar desde o diagnóstico até a evolução do tratamento, verificando se o resultado desejado foi atingido. Entretanto, para o paciente, a vantagem é maior ainda, pois conta com cuidado direto, obtendo vantagens da promoção de uso racional de medicamentos e de outras tecnologias ligadas à saúde.

Outrossim, esses são deveres do farmacêutico, previstos na Resolução nº 585, do Conselho Federal de Farmácia.

Como realizar uma anamnese farmacêutica efetiva?

Para realizar uma boa anamnese no consultório farmacêutico é necessário seguir alguns passos. É uma etapa fundamental em que o profissional procura saber mais sobre a rotina da saúde do paciente.

Entretanto, existem pontos que devem receber atenção se o objetivo é uma boa anamnese farmacêutica. Confira algumas dicas!

1. Foco no paciente

A anamnese é essencial para que o profissional tenha informações completas e verdadeiras sobre a saúde do paciente. Então mantenha o foco sempre em suas queixas, além de demonstrar interesse. Além disso, disponha de tempo, dedicação e identifique o momento a intervir na narrativa do paciente para extrair mais informações.

2. Investigue a história clínica e pessoal do paciente

Para uma anamnese completa, atente-se aos detalhes, pois podem fazer a diferença. Aborde toda a história clínica, tanto do paciente quanto de sua família, para identificar informações que podem ser relevantes ou até cruciais para o diagnóstico. Dessa forma, aborde seus hábitos, rotina, relações interpessoais, além de doenças preexistentes na família e no paciente.

3. Adote uma postura profissional

Muitas pessoas tendem a enxergar a figura do farmacêutico como menos intimidadora que o médico, sendo mais propensos a falar informações importantes, então utilize-se dessa vantagem. Mantenha uma postura profissional, séria, porém respeitosa, com empatia e sem julgamento com o paciente. Portanto, evite demonstrar sua opinião pessoal, mantendo o foco sempre nas informações e conselhos profissionais.

4. Conquiste a confiança do paciente

É estritamente importante que o paciente confie no farmacêutico, permitindo a livre expressão de temores, sentimentos e pensamentos. Deixe bem claro que aquelas informações ficarão em sigilo e que a sinceridade é essencial para chegar a um diagnóstico exato.

Seguindo essas dicas, você conseguirá realizar uma boa anamnese farmacêutica.

Não deixe de conferir também dicas para desenvolver uma farmácia clínica!

Referências: UNIP, Boas Práticas Farmacêuticas, ICTQ, Vetor Soluções e CFF.