O associativismo é uma metodologia que pode ser aplicada em empresas de qualquer segmento que usem a mesma matéria-prima, prestem o mesmo tipo de serviço ou comercializem o mesmo produto.

Para aplicá-lo, é necessário unir um grupo de empresas que, após estudos de viabilidade, possa arcar com os custos de implantação e manutenção de uma central de marketing, serviços e negócios, sendo uma solução para resolver problemas de grandes e médias empresas.

Ele surge como uma forma de as empresas não enfrentarem sozinhas a concorrência das grandes corporações. Elas se unem com o intuito de elevar o padrão de qualidade de serviços prestados e produtos comercializados pelas pequenas e médias empresas, além de conquistar melhores condições de preço, estratégia de venda e estimular o desenvolvimento dos empresários e colaboradores.

O que preciso para aplicar o associativismo na minha farmácia?

Está cada vez mais comum as farmácias independentes se unirem às associações, como a Federação Brasileira das Redes Associativistas e Independentes de Farmácias (Febrafar), como estratégia. A Febrafar oferece, por exemplo, apoio jurídico, contábil, otimização e redução de custos e outras estratégias. É preciso procurar uma associação para saber mais sobre as estratégias oferecidas.

Essa metodologia tem várias vantagens para a farmácia, desde o pensamento coletivo que gera com a união de empresários, a capacitação mais eficiente dos colaboradores, melhoras na lucratividade, a oportunidade de novas e eficientes parcerias, consultoria no quesito do conceito da loja, desde a fachada, estrutura até a modernização de processos. Além disso, a maior vantagem é a competitividade entre as maiores redes de farmácias, que teoricamente têm mais visibilidade e podem garantir preços mais baixos para o cliente.

Dentro da Febrafar, foi criado o Instituto Febrafar de Pesquisa e Educação Continuada, fazendo pesquisas e coordenando estudos para disseminar e melhorar o nível educacional empresarial dos associados. Nítidos e positivos, os resultados apontam: de 2.264 farmácias associadas à Febrafar, 31% dessas apresentaram um crescimento maior do que a média de mercado, 49% ficando na linha de crescimento padrão e apenas 20% ficando abaixo dessa média.

Aos empresários que obtiveram um crescimento notável, notou-se que o rendimento da coletividade gerada pelo associativismo foi um dos grandes responsáveis.

O associativismo não garante automaticamente o sucesso. Porém, é fato que os empresários que aplicam com competência e envolvimento possuem uma chance elevada em atingir seus objetivos. Na pesquisa da Febrafar, nos empresários que não obtiveram crescimento, notou-se a falta de envolvimento do empresário e da empresa nas ações da associação.

O associativismo e as parcerias com outros segmentos

Uma das vantagens desse modelo é o olhar estratégico para as parcerias com empresas de outros segmentos que possam trazer mais visibilidade para sua farmácia. Existem alguns segmentos que podem gerar parcerias interessantes:

1. Academias

Como ambas as empresas têm foco na promoção e manutenção da saúde, pode-se promover uma prova de corrida ou caminhada em alguma data comemorativa.

2. Clínicas de estética

Promover um dia de beleza para pacientes de uma clínica oncológica, por exemplo, promovendo uma maior autoestima para quem está combatendo a doença.

3. Ações em comunidades carentes ou abrigos de animais

Com foco na educação contra doenças como a dengue, conscientizando e entregando kits com repelentes manipulados. Ou apoiar feiras de adoção de animais com a doação de medicamentos manipulados.

Então, pronto para desenvolver o associativismo em sua farmácia magistral?

Assine a newsletter e não perca informações importantes ao seu nicho!

Referências: Febrafar, Guia da Farmácia, ABC Farma, Farmarcas e Gilson Coelho.