Consultório farmacêutico é um novo modelo de negócio do setor, que permite aproximar pacientes do atendimento democrático à saúde e da manipulação de medicamentos relacionados. Ainda que seja um tipo de cuidado farmacêutico muito tímido no Brasil, já conseguimos verificar a movimentação do mercado que permite atingir esse público, trazendo mais experiência para seus clientes quanto ao uso de itens farmacêuticos.

Você já ouviu falar ou não conhece, mas acredita que seja um importante passo no mercado e que pode ser dado no seu negócio também? Então, confira a leitura deste artigo. Nele, explicaremos melhor o que significa o consultório farmacêutico e como utilizá-lo.

Confira!

O que é um consultório farmacêutico?

Aprovado pelas Resoluções 585 e 586 de 2013, do Conselho Federal de Farmácia (CFF), e da Lei nº 13.021, de agosto de 2014, a prestação de serviço conhecida como consultório farmacêutico. Esse tipo de atendimento, ainda pouco utilizado no país, tem conquistado força por democratizar o acesso à informação e o uso de medicamentos.

Nos consultórios, o profissional responsável pode avaliar os medicamentos utilizados, assim como fazer uma anamnese farmacêutica mais aprofundada, orientar sobre a administração medicamentosa, auxiliar o paciente na evolução do quadro clínico e, até mesmo, dar suporte em caso de efeitos colaterais.

Esse movimento permite que mais pessoas tenham consciência sobre o uso dos medicamentos. Além disso, diminui a automedicação e as consequências que essa prática pode causar. O consultório farmacêutico torna as farmácias como uma extensão do atendimento médico e até mesmo um pré-atendimento, uma vez que o profissional pode fazer o encaminhamento a um médico específico.

Como abrir e regularizar seu consultório farmacêutico?

Por ser um tipo de serviço muito novo e que ainda conquista seu espaço, como implementá-lo é uma dúvida comum para profissionais e empreendedores da área. O primeiro passo aqui é entender quais são as exigências iniciais.

Obviamente, exige-se que o profissional seja bacharel em farmácia com registro do Ministério da Educação e Cultura (MEC), além de ter o número do seu registro no Conselho Regional de Farmácia (CRF), sem nenhum tipo de empecilho ético e moral para execução do trabalho.

Em seguida, é o acompanhamento das resoluções já adiantadas aqui, a 585 e a 586 do CFF. Nelas, entendemos o que está previsto nesse tipo de atendimento e o que poderá ser ofertado ou não como prestação de serviço de saúde ao paciente. A RDC-ANVISA 44, de 2009, também estabelece as responsabilidades do profissional.

É muito importante que o negócio e seus empreendedores estejam cientes da legislação que se aplica a esse novo modelo de atendimento em farmácias. O cumprimento garante não só a responsabilidade legal, mas também o serviço correto que o paciente necessita naquele momento. Além disso, vale ressaltar a possibilidade de multas pelo não cumprimento das mesmas.

O consultório farmacêutico apesar de ser um movimento novo dentro do seu segmento, mas muito importante para a experiência dos consumidores. Principalmente quando o assunto é saúde. Esse é um importante investimento para seu cliente. Seguindo as exigências ditas aqui, você facilmente conseguirá oferecer esse tipo de serviço, alavancando o seu negócio e otimizando a gestão farmacêutica.

Quer ficar por dentro de assuntos como este, que podem otimizar a sua farmácia? Então, assine a nossa newsletter e receba conteúdos com exclusividade!