A pandemia da Covid-19 obrigou os negócios de vários ramos a uma rápida adaptação. Com as farmácias magistrais, não foi diferente. Por oferecerem serviços de necessidade primária, o negócio farmacêutico se viu diante de uma mudança que antes parecia a passos lentos: a digitalização. E o que ela traz consigo? O consumidor digital!

Mas para entender essa adaptação exigida pela pandemia, é preciso conhecer quem é o consumidor digital. O e-commerce farmacêutico, também conhecido como o comércio online da venda de produtos e medicamentos farmacêuticos, ganhou um novo tipo de consumidor. Por isso, engana-se quem aposta nas velhas técnicas de vendas para este novo cenário.

Como veremos, os clientes online de farmácias realizam um trajeto de compra totalmente diferente. Efeito de uma plataforma e interação totalmente única. Com dúvidas? Entenda melhor quais são essas características do consumidor online.

O que busca o consumidor digital?

Na era digital, o comércio se transforma. Vemos outra maneira de pesquisar produtos e preços, atendimento diferenciado, serviços de entrega são modificados e cada passo de uma compra online exige adaptação. Um bom exemplo disso é o atendimento via WhatsApp, solução eficiente para atender um consumidor digital.

Então, como podemos desenhar o perfil do cliente online? O que muda?

Exigência alta

Ir de uma loja virtual farmacêutica para outra acontece em poucos segundos. Sendo assim, a concorrência é maior, pois estamos diante de um vasto mundo de opções. Dessa forma, é preciso entender que muitos consumidores fazem compras online pela praticidade e conforto. 

Portanto, encontrar uma loja virtual e soluções específicas de farmácia são o pontapé de um negócio de sucesso. Toda a experiência que se deseja oferecer no modo online deve ser planejada para que o cliente finalize sua compra com satisfação.

Conexões diversificadas

O consumidor digital tem múltiplas plataformas de interação, além do site, sua farmácia também deve apostar nas redes sociais. E elas não servem somente como canais de atendimento ao cliente. Mas, também é um meio para explorar a divulgação da marca e produtos, atendendo os critérios de propaganda farmacêuticas, determinados por lei.

Interatividade

Use e abuse da interatividade! O e-commerce abriu a oportunidade de estar mais próximo de milhares de clientes, o que faz da interatividade, algo essencial. Dessa maneira, é preciso saber o que eles pensam sobre sua farmácia, sanar suas dúvidas, solucionar problemas e manter um bom relacionamento online. Para isso, é preciso desenhar estratégias de e-commerce que vão além de “querer vender um produto”.

Ofereça diferenciais

Se há algo que pode impulsionar seu e-commerce, é a possibilidade de levar um atendimento e vantagens exclusivas para seu cliente online. Entregas grátis, cupons de desconto, fazer parte de uma lista exclusiva de clientes ou entregar brindes. Todas essas práticas já são feitas por farmácias que desejam fidelizar clientes. Então, qual será a sua tática? Para isso, é preciso pensar no seu público-alvo e quais vantagens serão mais atrativas. 

Sendo assim, é hora de colocar sua plataforma de vendas farmacêuticas para funcionar! Estude o mercado online com frequência e esteja atento às novidades, não só do seu mercado, mas também em relação às ferramentas digitais. Dessa forma, poderá se diferenciar dos seus concorrentes.

Compartilhe este artigo nas suas redes sociais! 

Referências: Fluxo e MuntantBr