Estresse articular: como se preparar para atender esse público?

Na farmácia, são muito comuns as queixas de dores nas pernas, braços, coxas, lombar e até mesmo nas mãos, após um dia mais difícil e extenso de trabalho. Na grande maioria das vezes, a causa é o estresse articular.

As articulações quando expostas a uma grande série de esforços, seja da rotina ou até mesmo de atividades físicas, manifestam reações dolorosas, como resposta do organismo. Apesar de existirem diferentes causas para as dores articulares, como alimentação, hereditariedade e comportamentos, a repetição de movimentos pode ser um grande problema.

Continue a leitura e saiba como ajudar o público da sua farmácia que sofre com estresse articular.

O que é estresse articular?

Assim como qualquer outro tipo de lesão nas articulações, elas podem acontecer em diferentes partes do corpo. A diferença é que, nesse caso, ela é oriunda de uma repetição de forças que levam às microfraturas nas articulações.

Na grande maioria das vezes, esse tipo de problema tende a acontecer nos membros inferiores, principalmente por serem eles a suportar o peso do corpo. Entretanto, isso não significa que determinadas tarefas ou esportes não possam causar fadiga nas articulações superiores.

Há situações nas quais o problema tende a ser mais grave e outros mais leves, tudo depende do quanto da exposição do seu corpo ao excesso de força. A primeira ocorre em áreas que se estendem, em vez de se fecharem e serem comprimidas, como o fêmur proximal e a diáfise da tíbia.

Já o segundo caso, acontece em regiões da compreensão do osso e o tratamento, assim como as consequências, podem ser mais brandas. Para identificar o problema, o paciente deve fazer exames físicos e de imagem, no intuito de entender o real nível do estresse articular.

As principais causas que levam ao estresse articular são: fadiga das articulações, ou seja, articulação estagnada e a força impactando os ossos; fatores biomecânicos; desalinhamentos ósseos; calçados inadequados; assim como outros equipamentos e até mesmo o tipo de alimentação.

Como uma farmácia pode atender quem sofre de estresse articular?

O primeiro passo é entender qual é o nível do estresse articular, muitos deles, corrigidos sem intervenção cirúrgica. No caso dos tratamentos baseados em medicamentos, é muito importante que eles sejam de qualidade e consigam evitar que esse tipo de situação retorne.

Por exemplo, o Chronic® é uma referência para prevenir e tratar os problemas nas articulações. Sua ação anti-inflamatória evita a fadiga e não deixa a exposição dos ossos às atividades de impacto. O ativo possui duas moléculas muito especiais, ainda pouco exploradas no universo da saúde: tocotrienol e geranilgeraniol. Ambas possuem atividades muito relevantes e específicas no universo musculoesquelético. Osteoporose, fraturas e a sarcopenia estão entre os grandes problemas desse universo, afetando homens e mulheres. Os componentes do Chronic® atuam na modulação e prevenção desses problemas, além de contribuírem com a diminuição da inflamação e da oxidação celular. Por outro lado, o colágeno tipo 2 regenera as articulações desgastadas com o tempo.

Trata-se de uma intervenção que age na minimização dos efeitos que a degradação da articulação causa, como dores, rigidez dos movimentos, além do impacto gerado na qualidade de vida. Assim, é uma suplementação indispensável que sua farmácia pode oferecer.

O estresse articular provoca uma dor crônica muito comum, mas que felizmente, há várias formas de evitá-lo, bem como proporcionar qualidade de vida para quem sofre com o problema. As farmácias são locais que podem oferecer os melhores medicamentos de intervenção para os diferentes tipos de sintomas que a doença manifesta.

Quer saber como você pode atender melhor seus clientes que sofrem dessa patologia? Entre em contato conosco,  conheça mais sobre o Chronic® e veja outras possibilidades de ativos inovadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *