Os excipientes antigamente eram vistos somente como substâncias para proteção do fármaco ou para facilitar a administração do mesmo. Hoje, os excipientes na farmácia de manipulação são considerados essenciais para garantir o desempenho do medicamento e para otimizar o efeito terapêutico.

A definição correta, regulamentada pelo IPEC (International Pharmaceutical Excipients Councils) é que o excipiente é qualquer substância, que difere do fármaco ou do pró-fármaco, tendo sua segurança avaliada, assim podendo ser incluído na fórmula farmacêutica.

O excipiente é incluído na fórmula, contribuindo com a preparação do medicamento, assim como protege e melhorara a estabilidade biológica do fármaco. Também possibilita a aceitação do medicamento pelo organismo do paciente. Pode melhorar ou promover atributos não só relacionados à segurança, mas também com a efetividade do produto, desde o armazenamento até o consumo.

Por que padronizar os excipientes na farmácia de manipulação?

Realidade cada vez mais frequente para as fórmulas magistrais, a padronização de excipientes na farmácia de manipulação tem vários benefícios e se mostra necessária. Além de trazer maior segurança no processo de manipulação, contribui para a redução de erros farmacotécnicos.

Contribui também positivamente para a eficácia da fórmula, além de melhorar a segurança e qualidade desses medicamentos.

Padronizar não significa criar padrões e misturas pré-determinadas de excipientes para garantir a eficácia. Padronizar excipientes na farmácia de manipulação significa definir o melhor excipiente para que as fórmulas atendam todos os requisitos propostos para cada fármaco.

Escolhendo individualmente cada excipiente, é possível assegurar a estabilidade, aceitabilidade e a facilidade de administração dos ativos.

A padronização pode ser feita por meio de análise bibliográfica sobre os excipientes, também fazendo-se a análise da bula do medicamento. Estudos realizados mostram também cálculos importantes para a padronização, como densidade e volume dos excipientes.

Garanta a eficácia das fórmulas com excipientes Celulomax®

Pensando cada vez mais em trazer melhorias e inovações em excipientes na farmácia de manipulação, a Purifarma desenvolveu uma linha especial e exclusiva, a Celulomax®. Os excipientes dessa linha, além de atenderem a todos os requisitos do Sistema de Classificação Biofarmacêutica, trazem benefícios importantes na hora de formular medicamentos.

Eles foram desenvolvidos para assegurar e estabilizar os efeitos farmacológicos dos ativos nele presentes, com o benefício de não utilizarem nenhuma substância que possa ser alergênica como: glúten, lactose, crustáceos, soja, etc.

Os excipientes Celulomax® também oferecem boa fluidez aos ativos, reduzindo o tempo de processo para a manipulação da fórmula. Também proporcionam a precisão da dosagem dos ativos, por facilitar a distribuição das partículas dos ativos.

Além disso, estão dentro das legislações sanitárias vigentes, possuindo laudos microbiológicos e físico-químico. Testados por vários laboratórios, incluindo a Ortofarma, possuem também validade estendida, de cerca de 18 meses.

A linha Celulomax® é formada por 4 tipos de excipientes, cada um indicado particularmente para um tipo de ativo e com objetivo diferente. Isso garante a estabilidade, qualidade e eficácia de cada um.

Leia mais sobre a linha Celulomax® aqui!

 

Referências: Boas Práticas Farmacêuticas, Anfarmag e Infarma.