Todas as exigências que estão na legislação, devem ser cumpridas, independente se os donos de farmácias estão ou não de acordo. Mas como estar preparado para a inspeção sanitária?

Primeiro é importante que a sua farmácia de manipulação cumpra com as Boas Práticas de Manipulação. Ou seja, todas as preparações magistrais para uso humano e veterinário devem estar dentro das normas.

Confira aqui como ter sucesso na inspeção sanitária!

Como evitar surpresas durante a inspeção sanitária

Para evitar surpresas durante a inspeção sanitária, a sua farmácia de manipulação precisa garantir que a produção do medicamento seja segura, de qualidade e eficaz. Para isso é preciso seguir o Manual de Boas Práticas de Manipulação em Farmácias, que deve ser acompanhado de Procedimentos Operacionais Padrão.

Dessa forma, é possível seguir a norma determinada sem perder o controle de qualidade, mesmo que fatores técnicos, humanos, maquinários e administrativos influenciem nessa administração. Ou seja, cumprir a RDC 67/07 que fixa os requisitos mínimos para que se exerçam as atividades de manipulação magistral, voltado ao uso humano, conforme Anvisa.

Seguindo as Boas Práticas, é possível prevenir problemas, bem como reduzi-los e até eliminá-los. Assim, você poderá também proporcionar boa experiência ao consumidor, já que ele vai adquirir produtos seguros.

O que pode ocorrer se algum critério estiver fora da norma?

As consequências que seu negócio poderá sofrer por problemas e irregularidades variam. No caso da sua farmácia de manipulação ter irregularidades na área sanitária, ela receberá penalidades. Isso vale tanto para problemas na parte documental como na parte estrutural.

Veja algumas das irregularidades que as farmácias de manipulação costumam apresentar:

  • Estoque físico para produtos controlados não estão de acordo com o escriturado, bem como os antimicrobianos.
  • Sala de aplicação não atende às exigências sanitárias.
  • Inexistência de procedimentos operacionais padrão, para se realizar determinadas atividades.
  • Insuficiência na organização e limpeza dos ambientes, além de não conter registro de limpeza.
  • Sem registro de controle técnico de temperatura e umidade, bem como falta campo para ação corretiva, caso necessário.

Esses são alguns dos exemplos do que é importante se atentar para não ser prejudicado em uma inspeção sanitária.

Dicas que vão ajudar o seu estabelecimento ao receber uma inspeção sanitária

Como você viu acima, a legislação obriga as farmácias de manipulação a cumprir normas, através das exigências para exercer o comércio farmacêutico. Para que a sua farmácia se saia bem durante a inspeção sanitária, é preciso:

1. Fazer um roteiro de inspeção 

Com um roteiro previamente preparado, fica mais fácil não se esquecer de nada. Para isso, identifique o que e como deve ser feito, quem ficará responsável em fazer e quando será realizado.

2. Ter (e seguir) POPs e Manual de Boas Práticas

É fundamental ter e seguir os Procedimentos Operacionais Padronizados, bem como o Manual de Boas Práticas. Esses documentos garantirão que a produção de determinado medicamento manipulado seja seguro. Assim, você evitará possíveis desvios de qualidade, bem como poderá prevenir e evitar problemas.

3. Arquivar os documentos para a inspeção

Arquive bem todos os documentos pedidos na inspeção para que sejam fáceis de encontrar (muitas farmácias se perdem por isso e são penalizadas). E lembre-se de que toda a documentação exigida deverá ser entregue por você. Ou seja, o fiscal não deve abrir armários/gavetas para pegar qualquer documento. Além disso, fique atento com a entrega do relatório da inspeção, que deve ser emitida no ato da vistoria.

4. Acompanhar o fiscal

Você deve acompanhar o fiscal durante todo o processo e se ele identificar alguma irregularidade, solicite o item normativo. Além disso, peça explicações sobre o item especificado.  Atente-se também à área de abrangência para uma possível fiscalização, esta deve estar relacionada apenas ao processo farmacêutico. Ou seja, ela não inclui área administrativa, comercial, recursos humanos e nem os escritórios.

Deseja receber outras dicas? Assine a newsletter!

 

Referências: Besan, ABC Farma e Ebah.