Insumos farmacêuticos são matérias-primas da farmácia de manipulação e por isso não podem ter sua importância minimizada. Na hora de escolhê-los, fique atento(a), pois é com eles que seus produtos serão produzidos. Saiba o que observar na hora de selecionar os insumos.

Para oferecer produtos manipulados de qualidade, os insumos farmacêuticos precisam ser bem selecionados. Conheça aqui quais os fatores que primordialmente devem ser levados em consideração:

Atente-se aos fornecedores

A escolha dos fornecedores é muito importante para que suas matérias-primas sejam de qualidade. Para não ter problemas, considere analisar a documentação, condições de armazenamento dos insumos farmacêuticos e as condições de fracionamento. Além disso, atente-se a reputação dos fornecedores.

Descarte os fornecedores que não atendem a todos os critérios de qualidade, já que as matérias-primas utilizadas resultam em um importante diferencial no produto final.

Além de se atentar à qualidade dos insumos oferecidos pelos fornecedores, verifique se estão de acordo com a regulamentação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). É preciso que os insumos farmacêuticos estejam registrados corretamente perante o órgão, respeitando a legislação para farmácias magistrais.

E mais! Busque fornecedores que estejam atualizados com o mercado e que procurem sempre inovações para as farmácias que distribui seus insumos. A tecnologia avança rapidamente, e na indústria magistral isso não é diferente. É importante que seu fornecedor traga sempre insumos de qualidade e inovação para suas fórmulas.

Analise a matéria-prima

Verifique os certificados de origem das matérias-primas, bem como os laudos de análise para que a sua farmácia garanta a qualidade nos produtos manipulados. É fundamental que os resultados sejam condizentes com as farmacopeias, por exemplo.

Após analisar as matérias primas adquiridas, se os resultados não corresponderem com os laudos, não as utilize na manipulação dos medicamentos.

A análise da matéria-prima deve ser feita no recebimento dos insumos, e com a presença da transportadora. O laudo da análise deve conter informações como nome e informações de conato do fornecedor, especificação dos insumos, datas de fabricação e validade do lote, as condições que devem ser armazenados e quantidade dos insumos. Confira também a integridade física das embalagens. A presença da transportadora nessa análise evita confusões e gera praticidade no caso de uma devolução.

Identifique e etiquete cada item recebido

Assim que receber os insumos e os colocá-los em quarentena, é ideal identificá-los da maneira correta. Alguns insumos mais complexos, geralmente ficam retidos para análises posteriores. Então, deve-se identificá-los e separá-los corretamente.

As etiquetas devem contar com informações importantes como: nome da matéria-prima, data de fabricação, validade, lote, além de dados das empresas fornecedoras e transportadoras. Essa identificação e etiquetagem correta é imprescindível para um trabalho otimizado no momento da formulação dos medicamentos. Além disso, ajuda a economizar tempo e evitar o uso incorreto ou equivocado de substâncias.

Cuide da escolha da embalagem e armazenamento

Toda a análise e identificação será perdida se os insumos farmacêuticos não forem embalados e armazenados corretamente. A escolha da embalagem deve ser muito bem planejada, do contrário o conteúdo pode ser danificado, ou interagir quimicamente com outro insumo, alterando sua fórmula. Além de proteger, a embalagem deve manter a integridade e o princípio ativo do insumo sem alterações. No armazenamento, o cuidado com a umidade e a luz é um fator que deve ser analisado corretamente. Esses cuidados são de inteira responsabilidade do farmacêutico.

Escolha a quantidade ideal de insumos farmacêuticos

A quantidade de insumos farmacêuticos adquiridos para a sua farmácia deve ser de acordo com a sua demanda. Defina o quanto vai precisar dentro de um determinado período para que não sobre e nem falte nada.

Para isso, considere as saídas dentro do mesmo período do ano anterior e atente-se aos hábitos de consumo atual de seus clientes. No estoque, analise os itens que têm baixo consumo, os que possuem rotatividade e retorno intermediários, bem como os que têm maior valor e giro.

Analise toda a documentação dos insumos farmacêuticos

Verifique se o fornecedor possui todos os documentos autorizados. Na dúvida, a ANVISA fornece uma lista e a sua farmácia pode adaptá-la conforme o checklist que precisa fazer.

Entre os documentos referentes ao material que você irá receber, deve constar:

  • Laudo de análise (ou Certified of Analisys), ou seja, o certificado de análise da qualidade do material que será fornecido à sua farmácia. Ele precisa ter como base as especificações da farmacopéia brasileira.
  • Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico, com códigos oficiais ou referências em literatura reconhecida, elaborada pela própria empresa.
  • Dossiê do produto elaborado pelo fabricante, dentro da regulamentação da ANVISA.

Qualifique seus fornecedores

A qualificação dos fornecedores é importante para garantir o recebimento de insumos farmacêuticos de qualidade. Qualificar seus fornecedores pode trazer uma série de vantagens para a farmácia de manipulação. Veja!

  • Evita-se a devolução de produtos, o que poderia atrasar a formulação dos medicamentos.
  • Otimiza-se o processo de formulação dos medicamentos.
  • Evitam-se erros que poderiam ser detectados somente em fases avançadas da formulação dos medicamentos.

Além da qualidade de insumos farmacêuticos, é importante avaliar o fornecedor nos quesitos atendimento, entrega, documentação e outros quesitos que possam ser pertinentes. É importante fazer a auditoria correta dos fornecedores, para avaliar e identificar as melhores empresas.

Deve-se haver uma confiança mútua entre cliente e fornecedor. Ishikawa listou alguns princípios que devem reger essa relação de parceria entre o fornecedor e cliente, sendo os seguintes:

1. Ambos são totalmente responsáveis pelo controle de qualidade, com entendimento e cooperação.

2. Devem ser independentes e promover a independência um do outro.

3. O cliente é responsável por fornecer as exigências e informações necessárias de maneira clara, para que o fornecedor saiba exatamente o que deve produzir e entregar.

4. Ambos devem fazer um contrato com relação à qualidade, preço, entrega e condições de pagamento.

5. O fornecedor é responsável pela qualidade dos produtos oferecidos, garantindo a satisfação do cliente.

6. Devem decidir antecipadamente sobre o método de avaliação dos itens entregues, sendo satisfatório para ambos.

7. Estabelecer em contrato os procedimentos e sistemas que podem atingir o acordo amigável de disputas, quando ocorrer algum problema.

Então, pronto para escolher seus insumos farmacêuticos sem erros? Entre em contato conosco!

 

Referências: Anvisa, FioCruz, Portal Educação