Frequentemente, no dia a dia das atividades de uma farmácia, acabam sendo deixados alguns processos importantes de lado. Quando nos referimos ao planejamento tributário, é comum encontrarmos empreendedores desinteressados em processos que envolvem a carga tributária de suas empresas.

Dessa forma, não percebem que os valores destinados a cobrir os tributos, podem estar acima do indicado para o tipo de negócio.

Por isso, avaliar a tributação que incide sobre sua farmácia é de suma importância. Esse processo qualifica ainda mais a gestão financeira do seu negócio.

Quer saber como resolver esse problema? Então, leia o post até o final e confira a importância de um bom planejamento tributário para a sua farmácia.

O que é planejamento tributário?

Antes de tudo, podemos definir que esse modelo nada mais é do que uma gestão de pagamentos de tributos de uma empresa. Em outras palavras, o planejamento tributário ajuda o empreendedor do estabelecimento a buscar formas para reduzir, de forma legal, as taxas tributárias que são incididas em sua farmácia.

Em geral, assim como a área da logística precisa ser administrada corretamente, de forma que os produtos, suas quantidades e o seu estoque esteja correto, o planejamento tributário também precisa ser levado em consideração. Sabemos que ele interfere diretamente nas finanças do seu negócio.

Quais são os tipos de planejamento tributário?

Em suma, podemos encontrar 4 tipos de planejamento tributário. São eles:

1. Planejamento Estratégico

Antes de tudo, o foco desse tipo de planejamento é a adequação dos objetivos gerais da sua farmácia com a legislação brasileira. Isso garante o seu rigor nos processos tributários e não pode ser ignorado por nenhum estabelecimento ativo no mercado. Dessa forma, o planejamento tributário estratégico toma decisões sobre:

  • Tipos de regime tributário;
  • Auxílio de em mudanças tributárias;
  • Incentivos fiscais.

2. Planejamento Tático

Inicialmente, o planejamento tático visa, em médio prazo, colocar em ação todas as etapas formuladas na gestão tributária. Dessa forma, sua real função é justamente colocar em prática todas as decisões arquitetadas em teoria.

Contudo, para entendermos melhor a sua função, vamos pensar o seguinte: o planejamento tático seria você e sua família preparando uma torta de chocolate para receber alguns amigos no fim de semana.

Nesse ponto, o planejamento tático seria a fase de escolher a melhor receita para a torta de chocolate e quem se responsabilizaria por cada etapa da criação da torta (misturas, compras, forno, entre outros).

3. Planejamento Operacional

Como o próprio nome diz, esse tipo de planejamento põe em prática todos os conceitos abordados nos planejamentos anteriores. Em outras palavras, são as ações a curto prazo, que devem ser iniciadas o mais breve possível.

Seguindo o exemplo da receita citada acima, podemos considerar que o planejamento operacional seria efetivamente a “mão na massa”.

Dessa forma, ao aplicá-la em sua farmácia, significa que quanto mais alinhada o planejamento tributário operacional estiver no seu negócio, menos correções serão necessárias posteriormente.

4. Planejamento Corretivo

Em resumo, o planejamento tributário corretivo atua diretamente nas possíveis irregularidades que surgem no decorrer do caminho, impactando diretamente os tributos. Ele corrige os processos tributários e previne futuros problemas.

Quais serão os benefícios que minha farmácia terá ao adotar uma gestão tributária?

1. Redução de custos e aumento do fluxo de caixa

Sabemos que um bom planejamento tributário ajusta o pagamento de impostos empresariais.

Dessa forma, com a adoção desse planejamento, o empreendedor poderá identificar melhores regimes tributários, bem como suas isenções fiscais e ações mais eficientes. Esse processo alivia o fluxo de caixa e torna os rendimentos financeiros mais sustentáveis e conscientes.

Sobretudo, o fato da farmácia poder contar com uma contabilidade para resolver todas as questões, alivia o empreendedor de sua rotina e o faz focar em atividades mais importantes.

2. Aquisição de créditos fiscais

Em geral, além de garantir a redução de impostos, o planejamento tributário ainda ajuda na recuperação de créditos fiscais. Sem contar que somente o fato de o empreendedor ter realizado pagamentos exagerados de impostos anteriormente, volta como crédito, levando a tributações mais reduzidas a médio e a longo prazo.

3. Contribui para a regularidade fiscal

Sem dúvidas, um dos grandes pontos positivos dessa prática, é justamente no efeito de ampliar a regularidade fiscal. Isso torna empreendedor da farmácia mais consciente de suas obrigações perante a legislação, o que evita de ter problemas futuros com a fiscalização.

Conforme visto, sua farmácia precisa incorporar uma excelente gestão tributária em suas atividades, de forma que todos os recursos estejam sob controle e não afetem a administração do seu financeiro.

Para complementar o tema, leia também sobre os cuidados a serem observados com a legislação que rege a farmácia magistral. Clique aqui!