Um propagandista médico é de extrema relevância para as farmácias de manipulação. A demanda por esse profissional tem chamado a atenção de muitas pessoas interessadas em atuar na área da saúde.

Porém, é preciso se adequar e atender ao perfil do novo propagandista. Ou seja, além de apresentar e comercializar medicamentos e produtos lançados pela indústria farmacêutica, o profissional deve se manter atualizado.

Além disso, um propagandista de sucesso precisa ter conhecimentos em Patologia, Fisiologia, Farmacologia e outras áreas. Isso aumenta seu discurso, ajudando a elevar o nome do estabelecimento e a divulgar produtos que são ofertados na farmácia de manipulação.

Continue a leitura para conhecer os pontos que compõe o perfil do novo propagandista médico.

A importância do propagandista médico

O novo propagandista médico é um profissional que possui características pessoais voltadas às práticas motivacionais incutidas nas farmácias magistrais. Porém, para se destacar no mercado, ele precisa buscar possibilidades reais de uma carreira sólida e de sucesso.

É fundamental que ele tenha conhecimentos básicos sobre áreas nas quais os profissionais da saúde possuem conhecimentos amplos. Afinal, ele vai visitar hospitais, clínicas médicas e odontológicas, entre outros, com o intuito de apresentar os lançamentos da indústria farmacêutica.

Por meio dele, os médicos podem conhecer os benefícios e informações gerais dos medicamentos que a farmácia de manipulação comercializa. Mas vale ressaltar que o mesmo não realiza uma venda direta e sim uma venda técnica ao médico.

Ou seja, deixará uma propaganda sobre determinado produto e o quanto é eficiente para tratar uma doença. Dessa forma, o profissional irá prescrever o tratamento com essa medicação, finalizando assim, a venda técnica.

Perfil do novo propagandista médico

O novo propagandista médico precisa ter conhecimentos especiais para que o seu discurso seja eficiente. Assim sendo, ele precisa além de ter um perfil comercial, ser comunicador, entender de psicologia e farmacologia.

Dessa forma, poderá atualizar os médicos sobre os produtos lançados no mercado, contribuindo com as vendas da farmácia. A postura, comportamento e o posicionamento do propagandista deve ser um diferencial. Portanto, confira o perfil do novo propagandista farmacêutico!

1. Autogestor

O profissional precisa ser capaz de gerenciar a sua carreira, já que é o responsável em planejar sua rotina de trabalho. Para isso, deve ser organizado e persistente na manutenção de determinada venda, focando numa transação futura com esse mesmo cliente. O novo propagandista precisa também dominar algumas ferramentas, como o Excel, preencher relatórios, participar de reuniões periódicas e cumprir metas.

2. Manter-se informado

É essencial conhecer e dominar bem a sua área de atuação, assim como qualquer outro profissional. Portanto, o novo perfil de propagandista requer dedicação em pesquisas e estudos sobre o segmento. Para isso, é importante se atualizar sobre os acontecimentos e novidades dispostos em eventos e noticiários. Igualmente, é importante considerar adquirir conhecimentos gerais sobre a atuação dos clientes, destaques da atualidade e também sobre o medicamento ofertado.

3. Ser comercial

É fundamental que o propagandista médico tenha poder de persuasão e convencimento, assim como um vendedor. Ter um perfil orientado para vendas é um grande trunfo ao profissional. Ou seja, saber usar seu conhecimento técnico, ter argumentos, persistência e jogo de cintura para convencer o médico sobre os benefícios do produto ao paciente. Isso contribui para aumentar as vendas na farmácia de manipulação.

4. Desenvolver a comunicação

A boa comunicação é o que diferencia o profissional na abordagem aos clientes. Então, é preciso aperfeiçoar alguns comportamentos. Entre eles: saber ouvir com atenção, manter o foco ao realizar e responder perguntas abertas e fazer bom resumo. Este último ajuda o profissional da saúde a entender tudo o que foi dito.

5. Ser empático

Um propagandista empático é aquele que mantém contato visual, não prejulga, é livre de preconceitos e sabe ouvir. Além disso, é muito importante adquirir a capacidade de se colocar no lugar do outro. Assim, é possível realizar uma boa apresentação dos insumos, de forma que o médico entenda o seu valor aos pacientes.

Então, gostou de saber mais sobre o perfil do novo propagandista médico e sua importância para a farmácia magistral?

Compartilhe essas dicas nas suas redes sociais!

Referências: Cognin, BenchMarking, Catho e PUC-SP.